AR 103 - Avaliação de riscos de sistemas, árvore de falhas e árvore de eventos – 24 horas

Por que participar & objetivos

• Mostrar como usar o método de Árvore de Falhas para avaliação de risco de sistemas com foco em segurança, consequências de falhas de sistemas em termos de custos, perdas, danos, etc.

• Mostrar que os métodos de Árvore de Falhas e Árvore de Eventos podem ser usados para análise de riscos em diferentes indústrias (RC NUREG–0492, NASA, SAE ARP4761 MIL–HDBK–338, IEC standard IEC 61025 e EN 61025)

• O treinamento apresenta ferramentas necessárias para análise de risco de forma quantitativa, identificação de caminhos indesejáveis (cut-sets), etc.

• O conteúdo é composto de conceitos teóricos rigorosos, juntamente com muitos exemplos de soluções de problemas

• O software utilizado possui interface de fácil compreensão e muito prático

  

Áreas de Interesse/público-alvo

• Profissionais da área de segurança de sistemas (safety systems)

• Profissionais da área de engenharia de confiabilidade

• Docentes, pesquisadores e estudantes de temas associados com análise de riscos operacionais

• Demais profissionais interessados em análise quantitativa de riscos operacionais

 

Ementa

1. O conceito de análise de risco de sistemas

2. Introdução à análise de sistemas por meio de Árvore de Falhas e de Eventos

2.1. Conceitos sobre análise de sistemas

2.2. Análise de sistemas: indução x dedução

2.3. Introdução sobre Análise de Árvore de Falhas (FTA)

2.4. Introdução sobre Análise de Árvore de Eventos (ETA)

2.5. Exemplos diversos

3. As diversas normas (ISO, IEC, ABNT, etc.) sobre análise de riscos de sistemas

4. Os Tipos de Eventos e Portas Lógicas para Árvore de Falhas 

4.1. Introdução sobre eventos e portas

4.2. Eventos primários

4.3. Portas lógicas

4.4. Símbolos de transferência

4.5. Exemplos diversos

5. Fundamentos sobre a construção de Árvores de Falhas e conjuntos de corte

5.1. Componentes de uma Árvore de Falhas

5.2. Efeito, modo e mecanismo de falha

5.3. Regras para a construção de Árvores de Falhas

5.4. Conjuntos de corte – Cut Sets

5.5. Conceitos básicos sobre álgebra booleana

5.6. Exemplos diversos

6. Conceitos de probabilidade utilizados na Análise de Árvore de Falhas

6.1. Conceitos de probabilidade

6.2. Introdução sobre probabilidade de ocorrência de um evento associado a uma porta lógica

6.3. Combinação e permutação

6.4. Exemplos diversos

7. Modelagem da falha e do reparo para os eventos primários de uma Árvore de Falhas

7.1. Probabilidade de ocorrência de um evento

7.2. Componentes com taxa de falha constante

7.3. Falhas dormentes

7.4. Configuração standby

7.5. Modelo de “Time at risk”

7.6. Modelo binomial para grupos de componentes idênticos em configuração K-de-N

7.7. Modelo de Poisson para análise do número limitado de peças de reposição

7.8. Distribuição Weibull

7.9. Distribuição lognormal

7.10. Disponibilidade em diferentes fases de operação

7.11. Taxa de falha em diferentes fases de operação

7.12. Evento iniciador de uma Árvore de Eventos

7.13. Exemplos diversos

8. Análise quantitativa da Árvore de Falhas

8.1. Análise quantitativa

8.2. Cálculo da indisponibilidade e frequência de um Cut set

8.3. Cálculo da indisponibilidade de um sistema

8.4. Cálculo da frequência de ocorrência de um sistema

8.5. Outras medidas de desempenho

8.6. Exemplos diversos

9. Analise de falha de causa comum (Common Cause Failure)

9.1. Falha de causa comum

9.2. Modelos de falha de causa comum

9.3. Beta Factor

9.4. Multiple Greek Letter (MGL)

9.5. Alpha Factor

9.6. Beta Binomial Failure Rate (BFR)

9.7. Exemplos diversos

10. Medidas de importância, avaliação da incerteza e análise de sensibilidade

10.1. Medidas de importância

10.2. Fussell-Vesely

10.3. Birnbaum

10.4. Barlow-Proschan

10.5. Risk Reduction Worth

10.6. Risk Achievement Worth Importance

10.7. Incerteza e simulação de Monte Carlo

10.8. Análise de sensibilidade

10.9. Exemplos diversos

11. Aplicações de cadeias de Markov em avaliação de riscos

11.1. Introdução sobre Cadeia de Markov

11.2. Cadeia de Markov discreta

11.3. Cadeia de Markov contínua

11.4. Cadeia de Markov com fases contínuas e discretas

11.5. Modelagem de sistemas com estoque de peças de reposição

11.6. Exemplos diversos

12. Análise por Árvores de Eventos (ETA)

12.1. Conceitos sobre Árvore de Eventos

12.2. Relação entre Árvore de Eventos e Árvore de Falhas

12.3. Risco de uma consequência

12.4. Exemplos diversos

13. Discussão de problemas dos participantes

 

Software de apoio além do Excel: Isograph Reliability Workbench

Inscrições

Datas Disponíveis Inscrição
09/08/2017 INSCREVER-SE!
Todos Treinamentos Treinamentos em Análise de risco em processo, engenharia e áreas afins
© 2009 - 2017 Todos os direitos reservados